segunda-feira, 22 de outubro de 2012

"Amar e Cuidar" de Maria Elisa Domingues

A jornalista Maria Elisa Domingues leva-nos neste livro numa viagem ao mundo do cancro. A palavra entrou na sua vida, graças ao cancro de mama da mãe. Do choque da notícia, à decisão do tratamento, a cirurgia, a comunicação com os médicos, as dificuldades que sentiu enquanto cuidadora. Uma realidade que atinge milhares de portugueses, entre doentes, familiares e amigos. Num trabalho emotivo e cuidado, a autora conversou com médicos, especialistas, enfermeiros e dá voz à história de catorze doentes oncológicos.

“(…) Uma viagem pelo mundo, ou pelo sub-mundo do cancro, a doença que nos habituámos a associar à morte e que, por isso, provoca em nós um abalo sísmico, às vezes até, uma alteração da personalidade. (…) A maior parte dos cancros, quando detectados a tempo, são curáveis, como todos sabemos. O livro mostra, aliás, ao lado de alguns insucessos, muitos êxitos da medicina. Eu próprio sou doente oncológico há anos e aqui estou a testemunhar que há sempre lugar para a esperança. É preciso acreditar.” – António Arnaut, in Prefácio 


A maioria das pessoas não sabe, nem quer saber, que - seja qual seja a doença - quem cuida também sofre. E que a morte do doente não acaba com o sofrimento do cuidador. Porque durante meses, anos, por vezes décadas, o cuidador viveu apenas e somente para o doente, e quando o doente morre, o cuidador pergunta-se se terá feito tudo, mas mesmo tudo, para salvar o doente. E a experiência deixa marcas, são cicatrizes que não se vêm mas que se sentem, sempre.

9 comentários:

S* disse...

Ouvi-a a falar sobre o livro um dia destes e passei a admirá-la ainda mais.

Dudu disse...

É um sentimento de impotência avassalador.

O Sexo e a Idade disse...

Tão verdade!

*C*inderela disse...

É uma grande verdade, quem cuida também sofre e esse sofrimento estende-se depois da morte da pessoa doente.

GATA disse...

S*: a Maria Elisa era-me indiferente como pessoa e profissional, mas agora olho com 'outros olhos' para ela.

GATA disse...

DUDU: infelizmente é um sentimento que ambas sentimos...

GATA disse...

O SEXO E A IDADE: mas uma verdade ainda desconhecida...

GATA disse...

*C*INDERELA: ...e o tempo suaviza a dor mas não a apaga...

Anónimo disse...

Aprende-se a lidar com a saudade........Tb eu tratei e cuidei da minha que morreu de cancro de estômago.....horrivel tanto sofrimento..........