quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Je suis Charlie


Sobre o assassinato, ontem, em Paris, de doze pessoas na redacção do jornal satírico francês "Charlie Hebdo" - entre elas, director, jornalistas e cartoonistas - muito (muito mesmo) eu poderia dizer, no entanto...

...citarei apenas uma frase da canção "Nirvana" do cantor e compositor francês (filho de pais imigrantes da Ilha de Guadalupe): "Je ne crois plus en Dieu et deviens nerveux / Allah, Krichna, Bouddah ou Jéovah / Moi j'opte pour ma paire de Puma"... e...

...aconselharei um filme francês chamado "La Haine" (em português, "O Ódio"), realizado por Mathieu Kassovitz em 1995, e que conta a vida de três jovens - um judeu (excelente Vincent Cassel), um árabe e um negro - dos subúrbios de Paris; muito mais que um filme, é uma espécie de estudo sociológico da crua e dura realidade dos franceses-não-franceses.

Nota de Rodapata: atenção, nada, mas nada mesmo, justifica o acto de ontem, mas é preciso conhecer para (tentar) perceber...

9 comentários:

S* disse...

Estas coisas ultrapassam-me...

_+*Ælitis*+_ disse...

Acho excelente o filme que recomendaste.

Tens razão, é preciso compreender contextos, por vezes viver os mesmos, para compreendermos algumas incompreenções que regem algumas cabeças (de vento ou não) deste mundo.

Mas fiquei com vontade de rever esse filme, apesar de ser pesado.

Suricate disse...

...ainda ontem à noite MorMeu dizia: "Nada justifica o acontecido....mas em horas e horas de escalpelização da notícia com repetição de imagem em cima de imagem ainda não vi ninguém deter-se uns minutos que seja para entender "o outro lado"...é isso ...e eu concordo.

hierra disse...

Eu percebo mas não desculpo o fundamentalismo, tudo tem de ser entendido como é, e humor por mais parvo é só humor.

Gata disse...

Pois... eu estava há pouco a pensar se seria possível acontecer algo assim cá, no nosso país, onde também sempre tivemos tantos emigrantes, mas somos um país diferente e temos uma emigração também diferente...
Beijinhos :)

SuperSónica disse...

E os acontecimentos de hoje? Isto vai de mal a pior....

L'Enfant Terrible disse...

Em tempos de crise há sempre aqueles que conseguem manipular as massas juvenis, seja pela religião, seja pela política (que ao fim ao cabo é a mesma coisa). O que me preocupa é que com isto sobem de tom outros extremistas, tão maus ou piores que os primeiros, os quais tentam vender o combate ao medo pelo medo!

Gaja Maria disse...

Seja como for "o outro lado" e ainda assim, é um acto repugnante e desmedido...

GATA disse...

stimadas e Estimados:

Eu digo e repito - nada, mas nada mesmo, justifica o fundamentalismo e o terrorismo, seja em nome de que (ou de quem) seja -, no entanto a 'coisa' é muito mais complicada e complexa...

Bjinhauuu!!!